20° C
min 17° | máx 25°

São Sebastião do Paraiso - MG

(35)3531-2396

Notícias

Hospital Regional do Coração realiza mais um implante de válvula aórtica

22/10/2021

.:: hospital_regional_do_coracao_realiza_mais_um_implante_de_valvula_aortica_54227_1_pt_041831.jpg ::.

Equipe médica do HRCor comemora mais uma intervenção para implante de válvula aórtica realizada com sucesso em Paraíso Foto: Divulgação

O HRCor (Hospital Regional do Coração), da Santa Casa de Misericórdia, em São Sebastião do Paraíso realizou com sucesso mais um procedimento cirúrgico para implante de válvula. O atendimento foi feito a um paciente de 83 anos teve cerca de 40 minutos de duração. A intervenção é realizada em situações em que o paciente idoso, normalmente, com mais de 75 anos é acometido com estreitamento da abertura da válvula aórtica prejudicando a circulação sanguínea no coração.

O procedimento foi realizado na quarta-feira, 20, sendo utilizada uma técnica minimamente invasiva. Durante o atendimento uma válvula é implantada por via percutânea (pela perna), ou seja, introduzida por um acesso na artéria femoral. Ela é navegada até o coração e liberada em substituição a valva aórtica doente.

O atendimento foi realizado em um paciente de 83 anos, com duração aproximada de 40 minutos, sem complicações. O paciente operado apresentava uma estenose valvar aórtica grave e tinha um risco cirúrgico alto para uma cirurgia convencional. Trabalharam no caso os cardiologistas intervencionistas José Luis Attab, Renato Sanchez, Ricardo Ferreira e equipe, que consideraram o resultado como "um grande sucesso". O paciente encontra-se em observação.

A Santa Casa de Misericórdia de São Sebastião do Paraíso habilitada como Hospital Regional do Coração - HRCor, conta com uma ampla capacidade técnica e instalada para realizar procedimentos estruturais cardíacos minimamente invasivos.

Estenose aórtica
Conforme os médicos a estenose aórtica trata-se de uma doença que causa o estreitamento da abertura da válvula aórtica, obstruindo o fluxo de sangue do ventrículo esquerdo do coração para a aorta. A doença afeta cerca 3 a 5% dos idosos com mais de 75 anos de idade, com fortes implicações na sua qualidade de vida. Os principais sintomas da enfermidade vão desde cansaço a dor no peito, podendo até ocasionar desmaio.

O tratamento pode passar pelo implante de uma nova valva cardíaca, através de cirurgia convencional, ou pelo procedimento minimamente invasivo, denominado de Implante Percutâneo de Valva Aórtica (TAVI). Na forma convencional é feita uma cirurgia aberta e troca da valva.

Na TAVI não há cortes, como ocorre tradicionalmente nas cirurgias cardiovasculares, permitindo um procedimento anestésico bem menos agressivo, e o paciente fica acordado durante o procedimento. Com grande vantagem no pós-operatório, que é muito mais curto e menos mórbido. A técnica tem diminuído a mortalidade e aumentado a qualidade de vida de pacientes.

No Brasil estima-se que nove milhões de pessoas com mais de 70 anos, 3% terão a doença, e que acima de 85 anos, 4% venham a desenvolvê-la.

Fonte: Jornal do Sudoeste