23° C
min 18° | máx 30°

São Sebastião do Paraiso - MG

(35)3531-2396

Notícias

Sem trégua, incêndios continuam causando transtornos em Paraíso

30/07/2020

.:: sem_tregua_incendios_continuam_causando_transtornos_em_paraiso_46227_1_pt_070905.jpg ::.

Duas ocorrências de incêndio foram registradas no sábado e domingo em São Sebastião do Paraíso. O primeiro caso foi em um lote vago, próximo a um local de armazenamento de sucatas e materiais de reciclagem, no bairro Village Paraíso, onde, após intenso trabalho dos Corpo de Bombeiro para conter o incêndio, houve reignição das chamas atingindo o depósito. O segundo caso, registrado no domingo, atingiu uma mata de preservação permanente em uma estrada de acesso à Guardinha: cerca de 15 hectares de área foram consumidos pelo fogo.

Conforme o Corpo de Bombeiros, o primeiro caso aconteceu por voltas das 6h de sábado, queimando uma área de 15 mil metros quadrados. O incêndio oferecia risco de propagação a um depósito de sucatas e usina de reciclagem de materiais, ao lado dos lotes onde o fogo se propagou.

No local, o fogo havia se propagado pelo capim existente nos lotes da quadra afetada. Foi iniciado o combate às chamas e a prevenção para que o fogo não atingisse os materiais recicláveis existentes na usina. Entretanto, por volta do meio dia, bombeiros foram acionados novamente porque havia acontecido uma reignição das chamas atingindo o depósito de recicláveis. Conforme bombeiros, com ajuda de maquinário, os socorristas conseguiram separar o material que estava queimado dos que não estavam, conseguindo, assim, controlar o incêndio.

No domingo, o 2º Pelotão de Bombeiros Militares foi acionado para combater incêndio em vegetação que estaria atingindo uma mata de preservação permanente, próximo à estrada municipal que dá acesso a Guardinha, distrito de São Sebastião do Paraíso. No local, os militares saíram da BR-265 e entraram em um carreador de café, onde estaria o primeiro foco de incêndio.

Conforme bombeiros, no local, dois trabalhadores tentavam conter as chamas, impedindo que o incêndio chegasse à plantação de café, tendo sido, deste modo, controlado. Bombeiros se deslocaram para a estrada principal que dá acesso à Guardinha e verificaram que o segundo foco já estava em meio à mata, subindo para a serra que é completamente tomada por vegetação densa e arborizada.

De acordo com bombeiros, o fogo teria percorrido o pasto e chegado até parte inicial da mata que fica próximo à estrada. Munidos de facões, abafadores e soprador, os militares adentraram a vegetação fechada e iniciaram o combate direto aos focos. Após percorrer cerca de 150 metros mata a dentro, os bombeiros militares saíram em um segundo pasto onde o fogo foi controlado.

Foi realizada uma barreira de proteção próximo à base da serra e a técnica de contra fogo foi utilizada próximo à estrada fazendo com que os focos se encontrassem e eliminasse o risco de produção de fagulhas que colocassem em risco o restante da mata. Alguns funcionários da fazenda auxiliaram no combate e apoiaram no rescaldo com uso de um trator com bomba d"água.

Uma pequena área com eucaliptos também foi atingida pelo fogo ao lado esquerdo da estrada de terra, próximo à BR-265. Conforme bombeiros, o entorno da mata estava bem limpo, com vegetação baixa, o que auxiliou para que o fogo não se alastrasse rapidamente pelos pastos das propriedades rurais.

Cerca de 10 hectares de mata (área de preservação permanente) foram atingidos pelo fogo, além de aproximadamente 5 hectares de área preparada para cultivo e área com plantação de eucaliptos também foram atingidos. Conforme bombeiros, acredita-se que o incêndio teve origem criminosa, mas ninguém foi preso.

O vereador Luiz de Paula postou vídeo onde disse ter acionado os bombeiros, e que "o fogo estava atingindo uma área de serra, acabando com a fauna e flora", afirmou "que pessoas irresponsáveis colocaram fogo na palhada e as chamas atingiram outras áreas".

PRÓXIMO À GUARDINHA
Também no final da tarde de domingo (26/7) chamas atingiram uma propriedade rural nas imediações do Distrito de Guardinha. Repórter fotográfico do Jornal do Sudoeste fazia alguns registros no Morro da Mesa, e de lá registrou o fogo se alastrando.

 

fonte : jornal do sudoeste