23° C
min 18° | máx 28°

São Sebastião do Paraiso - MG

(35)3531-2396

Clique
09:00 às 10:05 - Momento de Fé
Apresentação
Pe Marcelo Rossi

Notícias

Prefeitura, Sindicato e Câmara discutem crise financeira

09/11/2018

.:: conteudo_37730_1.jpg ::.

A Prefeitura de São Sebastião do Paraíso, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sempre) e a Câmara de vereadores discutiram na manhã de quarta-feira, 7, a situação financeira do município e que tem causado atraso no pagamento de salários. Executivo e Legislativo discutiram algumas divergências e projetos que foram arquivados para incremento de receitas no município, como o de venda de terrenos e a revisão da Planta Genérica de Valores (PGV). Também expuseram suas opiniões e, a pedido dos sindicalistas, todos se comprometeram a ter mais diálogo e trabalhar 
unidos pelo bem dos servidores e da comunidade em geral. Até o momento, a Prefeitura só conseguiu pagar o salário de setembro a quem ganha até R$ 2.500,00. Aos professores vinculados ao Fundo da Educação Básica (Fundeb), foi pago a todos até R$ 1.900,00. Ainda são necessários cerca de R$ 1,6 milhão para quitar a folha de setembro. A expectativa do município é receber recursos do Governo Federal nesta sexta-feira, 9 — em torno de R$ 1 milhão. A Câmara devolveu ao Executivo R$700 mil para auxiliar na folha de pagamentos que devem ser feitos no sábado. O Sindicato propõe diversos cortes e várias sugestões como, exoneração dos cargos comissionados com recrutamento externo, fusão de secretarias, revisão dos contratos de terceirização e suspensão temporária nos cargos em comissão para servidores efetivos. De acordo com a secretária de Planejamento e Gestão, Adriana Rogeri Franco, algumas medidas estão em estudo pela Prefeitura e serão postas em prática a partir de segunda-feira, dia 12, reforçando o decreto de contenção de despesas publicado em abril/2018. A vice-prefeita Dilma pediu aos secretários que façam uma operação “pente fino” em suas pastas para ver quais despesas podem ser reduzidas. Ao final da reunião, o prefeito Walker solicitou aos vereadores que façam uma moção de repúdio a ser encaminhada à Assembleia Legislativa mineira diante dos constantes atrasos de repasses de recursos por parte do Governo do Estado que deve mais de R$ 21 milhões ao município.

Fonte: Assessoria de Comunicação