23° C
min 18° | máx 28°

São Sebastião do Paraiso - MG

(35)3531-2396

Clique
09:00 às 10:05 - Momento de Fé
Apresentação
Pe Marcelo Rossi

Notícias

Falta de médicos legistas continua causando transtornos na região

11/07/2018

.:: conteudo_36767_1.jpg ::.

A necessidade de um Instituto Médico Legal para São Sebastião do Paraíso é um pleito que há anos vem sendo discutido no município tendo em vista que a cidade abriga a 4.ª Delegacia Regional da Polícia Civil e que o cidadão paraisense e da região, não raro, tem enfrentado problemas para ter o corpo de seus familiares falecidos liberados para serem sepultados. Esta semana, outra família enfrentou o mesmo problema devido falta de médico legista em Passos para fazer a necropsia. As necropsias de pessoas falecidas em São Sebastião do Paraíso e cidades na área de abrangência da 4.ª Delegacia Regional da Polícia Civil, como São Tomás de Aquino, de praxe, são feitas no IML de Passos, no entanto há casos em que é preciso esperar mais de 15 horas pela liberação de um corpo, como ocorrido no final de 2017 quando o enterro de uma pessoa falecida no município teve que ser adiado porque o corpo não havia sido liberado pelo legista que enfrentou problemas durante sua chegada a Passos. O caso mais recente envolveu uma família de São Tomás de Aquino. Uma idosa que faleceu em decorrência de agressão do marido, teve que pagar para que o corpo pudesse ser levado à Formiga, a 207 quilômetros de São Sebastião do Paraíso, para passar pelo procedimento necessário para a liberação do corpo aos familiares. De acordo com o prefeito Walker Américo de Oliveira, a única forma de poder trazer uma solução viável ao município seria um convênio entre município e Estado, uma vez que o serviço em questão seria muito caro e a Prefeitura não teria condições de arcar com tal custo. O presidente da Câmara Municipal, Marcelo de Morais, também vem há tempos cobrando do Estado e município solução para o problema. No início deste ano ele foi a Poços de Caldas, onde se reuniu com o chefe do Departamento da Polícia Civil, Bráulio Stivanin Júnior, e solicitou que a instituição se sensibilizasse com o problema enfrentado pela da 4.ª Delegacia Regional de Polícia Civil, entre eles falta de efetivo. Marcelo também chegou a mencionar a necessidade de um IML para Paraíso, mas Stivanin Júnior havia dito que faria cobranças junto ao Estado, porém sem sucesso. (Fonte: Jornal do Sudoeste)